sábado, 30 de junho de 2012

Novo livro de Inácio Steinhardt




A Biblioteca – Museu República e Resistência, no dia 12 de Julho, apresenta:


RAÍZES DOS JUDEUS EM PORTUGAL
Entre Godos e Sarracenos


De Inácio Steinhardt







Museu República e Resistência, sito no espaço Grandela,
Estrada de Benfica, nº 419, em Lisboa



New beginning...



Shavua Tov!

Pintura de:
Alex Levin

sexta-feira, 29 de junho de 2012

“Estudando a Torah”


Shabat Shalom!

Pintura de:
Alex Levin

Exposição - Karla Bratfisch







A Artista Plástica

Karla Bratfisch

irá expor seus trabalhos da coleção
WOODSTOCK durante a FLIP,

Festa Literária Internacional de PARATY!!!

A exposição terá lugar no Espaço
Cultural do Restaurante Bartholomeu


Não perca!!!


Bartholomeu Restaurante e Pousada
Rua Doutor Samuel Costa, 176 – Paraty, RJ

Telefone: 24 – 3371.5032



quinta-feira, 28 de junho de 2012

O extraordinário pintor: Alex Levin







Alex Levin vem de Kiev, capital da Ucrânia, onde nasceu em 1975. Mais tarde frequentou a Art Academy, onde se graduou com honras.




Em 1990, Alex Levin imigrou para Israel, onde vive atualmente na cidade de Herzeliya.
Com um produtivo e agitado calendário, Alex Levin encontra tempo para crescer como artista e estudar novas técnicas com o professor Baruch Elron que foi o artista e presidente da Associação Israel.


Os principais estilos de pintura são o surrealismo e o realismo. Alex tem uma grande variedade de obras em óleo, acrílico, carvão, lápis e tintas tempera.

As obras de Alex Levin são admiradas em todo o mundo e foram compradas para inúmeras coleções particulares, empresariais e institucionais nos Estados Unidos da América, Israel, França, Itália, Ucrânia, Suíça e Bélgica. Um jovem artista, ainda na casa dos trinta anos de idade, foi reconhecido diretamente por muitas personalidades influentes, incluindo o ator e produtor Richard Gere, Madonna, Jazz canadiano, Oscar Peterson jogador e ex-presidente de Israel Ezer Weizman.


Sinagoga



Telifin



Túmulo da matriarca Raquel

Pratica a forma original da técnica do século XVI, que passa pelo uso de várias camadas de têmpera e óleo (sem pinceladas). Após servir 3 anos no Exército de Israel, em 1997 entrou para o programa de design industrial e web que foi um grande benefício para sua obra de arte. Atualmente trabalha em 2 temas: " Tradição da Herança Judaica "e" Veneza através dos olhos da máscara ", nova visão de um artista de um Carnaval de Veneza é uma abordagem completamente original e apresenta um visualizador com um recurso abundante e mais proeminente do Carnaval de Veneza -. The Mask As pinturas anteriores de " Coleção Mask "foram introduzidas no ano de 2002 em Veneza e onde foi premiado com a bolsa de estudos para Veneza Academy of Art para apoiar o desenvolvimento contínuo do artista artístico e permitir-lhe dedicar um tempo considerável para a criação de novos trabalhos.

Tradição da Herança Judaica


Casamento Judaico


Sucot



Chanuká

Purim

Matsá para Pessach

“Tradition of Jewish Heritage” é uma coleção de trabalho sobre Jerusalém e o Muro das Lamentações e foi neste bairro religioso que Israel homenageou Alex Levin, como um dos artistas mais talentosos e jovens de Israel.

Muro das lamentações


Judeu a fazer as suas orações (no muro das lamentaçõe

Através dos atributos dos golpes de seu pincel, Alex conquistou os habitantes do bairro ultra ortodoxo de Jerusalém de Mea Shearim, e todo o povo judeu no Muro das Lamentações, um dos lugares mais sagrados do judaísmo... Em 2007, Alex recebeu como Prêmio, uma Medalha para a Contribuição para a arte judaica do Knesset.


Bairro Judeu antigo



Veneza através dos olhos da máscara



Histórias de Carnaval











Grandes exposições:

1989 - Kiev, Ucrânia 1990 -HERZLIYA Pituach, ISRAEL
1993 - TEL AVIV, Israel (Winefestival Rishon le Zion)
1994 - Nova Iorque, EUA (Artexpo)
1997 - Sidney, Austrália (Avory Galeria)
1998 - TEL AVIV, Israel (Bitan Haomanim)
1998 - AMSTERDÃO, Holanda (Artexpo)
1999 - Paris, França (Gal le Parvis Saint Merri.)
1999 - Herzliya, Israel (Vizo)
2000 - LAS VEGAS, EUA (Artexpo)
2000 - Bruxelas, Bélgica (Galeria aigu)
2001 - Nova Iorque, EUA (Artexpo)
2001 - Berna, Suíça (Galerie Marlyse Aebli)
2001 - HAIFA, Israel (Eshkol Pais)
2002 - Nova Iorque, EUA (Artexpo)
2002 - TEL AVIV, ISRAEL (OffirGallery)
2003 - Nova Iorque, EUA (Artexpo)
2003 - Sidney, Austrália (Hamilton Galeria de Arte)
2004 - Nova Iorque, EUA (Artexpo)
2004 - Nova Iorque, EUA (Alexander Galeria (antiga tradição da Herança Judaica)

É provavel que esta listagem esteja já desactualizada, mas não disponho de dados mais recentes.


Visite a página do pintor:



Fonte:

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Shalom!

Laila Tov!


CONVITE - SAMUEL GACON




Numa parceria com a Câmara Municipal de Faro e o Centro Histórico Judaico de Faro, finalmente vamos assinalar a introdução da Imprensa em Portugal 525 anos depois.

Samuel Gacon Imprimiu o Pentateuco a 30 de Junho de 1487. A comemoração será no dia 1 de Julho de 2012 (próximo Domingo) a partir das 9:30h em FARO.

Daqui, convido todos os que puderem estar presentes nesta efeméride...
António Alves Valente

Jerusalém




Pintura de Alex Levin

Laszlo Moholy-Nagy





László Moholy-Nagy (Bácsborsód, 20 de Julho de 1895Chicago, 24 de Novembro de 1946).

 Laszlo Moholy-Nagy foi um pintor judeu-húngaro.

Foi ensaísta, pintor, escultor, desenhador, fotógrafo e autor de fotomontagens, o hungaro Moholy-Nagy foi um verdadeiro «homem renascentista» do séc xx.







O construtivismo teve origem na Rússia de 1919 até por volta de 1934, o artista e arquitetos rejeitou a idéia de "arte pela arte" em vez disso, utilizava a arte como uma prática voltada para fins sociais.




Para László Moholy-Nagy não existiam divisões entre a fotografia, a pintura, a fotografia, a escultura e a arquitectura. A sua visão eclética e global foi fundamental em duas das mais importantes escolas de artes visuais deste século, a Bauhaus e o Chicago Institute of Design. Nagy aplicava a técnica de colagem de negativos e uso de instrumentos que interferem artisticamente na impressão das fotos.




Nascido na Hungria em 1895, László ingressou no curso de Direito da Universidade de Budapeste aos 18 anos. Mas a I Grande Guerra interrompeu os seus estudos no ano seguinte. Foi mandado para a frente, onde seria gravemente ferido.


Durante sua convalescença, László dedicou-se aos desenhos e às aquarelas. Mais tarde, com a República Soviética Húngara derrotada, o marxista Moholy-Nagy exilou-se em Berlim, onde entrou em contacto com toda a efervescência cultural do momento, do Futurismo ao Dadaísmo, passando pelo Construtivismo de seu amigo El Lissitzky.




László Moholy-Nagy começou o seu percurso artístico por aderir ao Construtivismo. A sua primeira exposição individual foi realizada em 1922 na galeria Der Sturm, em Berlim.





A partir de 1923 e até 1928, Moholy-Nagy ensinou e trabalhou na Bauhaus: foi docente na oficina de metal e director do Curso Preliminar (Vorkurs). Começou estas actividades com a idade de 27 anos.








A partir de 1923, e em estreita cooperação com Walter Gropius, Moholy-Nagy concebeu e editou a série de livros chamados bauhausbücher.


Deste modo, Moholy-Nagy foi o impulsionador das actividades editoriais e publicistas da Bauhaus.
Casado com a fotógrafa Lucia Moholy, László Moholy-Nagy não demorou a fazer suas primeiras experiências fotográficas. Com uma consistente base teórica, tratou de inovar: na composição, nos pontos de vista, misturando técnicas.







Trabalhando na Bauhaus como director da oficina de metal, Moholy-Nagy continuou produzindo fotos, desenhos, esculturas, e ensaios teóricos. Em 1924, publicou Pintura, Fotografia, Filme, dentro da série de livros que ele editava na Bauhaus, como por exemplo o "Vision in Motion".






Fonte:




Sir George Solti






Sir George Solti, (Budapeste, 21 de Outubro de 19125 de Setembro de 1997) foi um maestro húngaro-britânico, de orquestras e de ópera. Ganhou 31 vezes os Grammy Awards e o Grammy Lifetime Achievement Award, sendo considerado um dos maiores maestros do século XX.







Solti (em húngaro: Stern György) nasceu em Budapeste de uma família judaica, seus pais eram Móric(z) Stern e Teréz Rosenbaum. Seu primo foi László Moholy-Nagy, o mundialmente famoso pintor e fotógrafo judeu. Seu pai mudou seu nome e sobrenome para protegê-lo do anti-semitismo.

Ele aprendeu piano, mas aos quatorze anos, ouvindo Erich Kleiber conduzindo a Sinfonia Nº5 de Beethoven decidiu, imediatamente, que queria ser maestro. Estudou na Academia de Música Franz Liszt, tendo Béla Bartók, Zoltán Kodály, Leo Weiner e Ernst von Dohnányi como seus professores.


Em 1935 ganhou reconhecimento como maestro e fez sua estréia na Ópera de Budapeste em 11 de Março de 1938 com Le Nozze di Figaro de Mozart, mas foi também a última performance. Nesse mesmo dia, Hitler anexa a Áustria e o anti-semitismo se tornou frequente na Hungria. Em 1939, com a invasão alemã, ele fugiu da Hungria devido à sua ascendência judaica, e foi morar na Suíça, onde continuava sua carreira como pianista, tendo ganho o Concurso Internacional de Piano de Genebra.


Infelizmente nunca mais viu seu pai, que morreu de causas naturais.




Depois da Segunda Guerra Mundial, Solti se tornou diretor musical da Orquestra do Estado Bávaro, em Munique. Em 1951 ele fez sua estréia no Festival de Salzburgo, conduzindo Idomeneo de Mozart.
Em 1960 assinou um contrato de três anos com a Filarmônica de Los Angeles, depois de ter conduzido a orquestra em Los Angeles em Hollywood Bowl. A orquestra esperava mudar-se para o Borothy Chandler Pavilion, que estava quase ponto e começaria a nomear os músicos da orquestra. No entanto, Solti inesperadamente se demitiu do cargo sem falar oficialmente com os diretores da orquestra; então o assistente do maestro, o indiano Zubin Mehta, que estava com 26 anos, foi nomeado diretor musical.



Em 1961 Solti voltou a ser diretor musical do Royal Opera House, Covent Garden. Lá, por ser muito exigente nos ensaios e por já estar careca acabou recebendo o apelido de The Screaming Skull. Assim ele passou grande arte do seu tempo entre Grã-Bretanha e Estados Unidos.

Seu primeiro casamento, com Hedi Oechsl, em 1946 terminou em divórcio. O seu segundo casamento foi com Valerie Pitts, uma apresentadora de televisão britânica, que ele conheceu uma vez quando ela o entrevistou.
Em 1971 ele recebeu uma Ordem do Império Britânico, assim sendo chamando de Sir Georg Solti.


Solti era um defensor e mentor de muitos jovens músicos, incluindo a soprano húngara Sylvia Sass, com quem gravou Don Giovanni de Mozart e Bluebeard's Castle de Bartok. Além disso, em 1994, Solti dirigiu o "Projeto Orquestral de Solti" no Carnegie Hall, um seminário de formação para jovens músicos americanos.



Sinfônica de Chicago



Solti foi diretor musical da Orquestra Sinfônica de Chicago (CSO) de 1969 e 1991, quando foi feito o único Diretor Musical Laureado da história da orquestra
No total, Solti conduziu 999 vezes a Sinfônica de Chicago. Sua milésima performance foi programada para ser em Outubro de 1997, por volta da hora de seu 85º aniversário. A cidade de Chicago mudou o nome de uma rua adjacente ao Symphony Center para "Sir Georg Solti" em sua memória.
Solti consolidou a reputação da CSO como uma das maiores orquestras do mundo. Estando pela primeira vez na Europa em 1971.
CSO gravou muitas obras com o comando de Solti, entre as sinfonias completas de Beethoven, Johannes Brahms, Anton Bruckner, e as óperas completas:

Final da Carreira


Além do seu mandato em Chicago, ele também foi diretor musical, na mesma época, da Orquestra de Paris de 1972 até 1975. De 1979 até 1983 foi o maestro principal da Orquestra Filarmônica de Londres.


Para o 50º aniversário das Nações Unidas foi formada a Orquestra Mundial da Paz, que consistia em músicos de 47 orquestras de todo o mundo, conduzidos por Solti.


Solti nunca se aposentou tendo uma morte repentina graças um ataque cardíaco no dia 5 de Sembro de 1997 em Antibes, França.





De acordo com seu desejo, Solti está enterrado em solo húngaro. Seu corpo foi colocado ao lado dos restos de Bartók, que foi seu tutor e mentor. Após sua morte, sua viúva e suas filhas fundaram uma fundação para ajudar novos músicos.





Fonte:


terça-feira, 26 de junho de 2012

Poesia


O Maestro Sacode a Batuta

O maestro sacode a batuta,
A lânguida e triste a música rompe ...




Lembra-me a minha infância, aquele dia
Em que eu brincava ao pé dum muro de quintal
Atirando-lhe com, uma bola que tinha dum lado
O deslizar dum cão verde, e do outro lado
Um cavalo azul a correr com um jockey amarelo ...




Prossegue a música, e eis na minha infância
De repente entre mim e o maestro, muro branco,
Vai e vem a bola, ora um cão verde,
Ora um cavalo azul com um jockey amarelo...


Todo o teatro é o meu quintal, a minha infância
Está em todos os lugares e a bola vem a tocar música,
Uma música triste e vaga que passeia no meu quintal
Vestida de cão verde tornando-se jockey amarelo...
(Tão rápida gira a bola entre mim e os músicos...)


Atiro-a de encontra à minha infância e ela
Atravessa o teatro todo que está aos meus pés
A brincar com um jockey amarelo e um cão verde
E um cavalo azul que aparece por cima do muro
Do meu quintal... E a música atira com bolas
À minha infância... E o muro do quintal é feito de gestos
De batuta e rotações confusas de cães verdes
E cavalos azuis e jockeys amarelos ...

Todo o teatro é um muro branco de música
Por onde um cão verde corre atrás de minha saudade
Da minha infância, cavalo azul com um jockey amarelo...




E dum lado para o outro, da direita para a esquerda,
Donde há árvores e entre os ramos ao pé da copa
Com orquestras a tocar música,
Para onde há filas de bolas na loja onde a comprei
E o homem da loja sorri entre as memórias da minha infância...




E a música cessa como um muro que desaba,
A bola rola pelo despenhadeiro dos meus sonhos interrompidos,
E do alto dum cavalo azul, o maestro, jockey amarelo tornando-se preto,




Agradece, pousando a batuta em cima da fuga dum muro,
E curva-se, sorrindo, com uma bola branca em cima da cabeça,
Bola branca que lhe desaparece pelas costas abaixo...





Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

C O N V I T E - Pintura de Oliveira Tavares






A Câmara Municipal de Odivelas tem a honra de convidar V. Exas. para a inauguração da exposição de Pintura “Oliveira Tavares: 1988-2012, a realizar no próximo dia 28 de Junho, às 21 horas, no Centro de Exposições de Odivelas.

Exposição patente até dia 16 de Setembro de 2012

Centro de Exposições de Odivelas

Horário: Terça-Feira a Domingodas 10h00 às 23h00.

Rua Fernão Lopes, Odivelas – Junto ao Jardim da Música
Telf: 21 932 08 00  E-mail: cultura@cm-odivelas.pt

sábado, 23 de junho de 2012

Mais uma viagem



Parta para mais uma aventura, enfrente as suas tempestades e chegue a bom porto na próxima sexta-feira.